Revista ISTOÉ pratica discurso de ódio

É com total indignação que nos deparamos hoje com a matéria de capa da revista semanal Istoé, que aborda a questão das verbas publicitárias destinadas aos veículos de comunicação. A responsabilidade para essa destinação é da Secretaria de Comunicação do Governo Federal (SECOM), cujo comando está nas mãos de Fábio Wajngarten.

Pegando o gancho do fato de ele ser judeu, a revista pratica uma odiosa falta de respeito com as vítimas do Holocausto, comparando-o a Goebbels, o chefe da propaganda nazista de Hitler que propagava mentiras até que se tornassem verdade.

A revista foi além. Repugnantemente além! Envolveu a comunidade judaica e disse que “os israelitas (sinônimo de judeus) são conhecidos por atuarem no submundo do setor de segurança e informação” fato que, além de não ser verdade, é o mais vil ato de preconceito, racismo e antissemitismo.

Repudiamos, veementemente, qualquer discurso de ódio, contra quem quer que seja que somente demonstram a mediocridade de quem o pratica!

Não podemos, em hipótese alguma, permitir atos de preconceitos e antissemitismo como esse!

Abraham Goldstein
Presidente da B´nai B´rith do Brasil

Revista ISTOÉ pratica discurso de ódio

Veja também

Noite de Cristais – 81 anos depois

Como sobrevivente do Holocausto, não posso deixar de lembrar esta triste data que marcou o …

Skip to content