Em Israel, garoto de sete anos encontra estatueta de 3.400 anos

Durante uma viagem ao sítio arqueológico de Tel Rehov, norte de Israel, na semana passada, o menino de sete anos Ori Greenhut, de sete anos, de Tel Te’omin, no vale de Beit She’an, parou de repente em cima de uma pequena figura coberta com terra, enquanto escalava o local.

Quando esfregou a sujeira do objeto, uma estatueta de argila incomum foi revelada. Levou-a para presentear sua mãe, em casa.

Moriya Greenhut explicou a Ori que era antigo e que o Instituto de Arqueologia e Antiguidades preservava os objetos para o público em geral.

De acordo com Amihai Mazar, professor emérito da Universidade Hebraica e diretor das escavações arqueológicas em Tel Rehov, que inspecionou a estatueta informou: “É típico da cultura canaanita dos séculos 15-13 A.C.” “Alguns pesquisadores acham que a figura retratada aqui é a de uma mulher de carne e osso, e outros a deusa da fertilidade Astarte, conhecida de fontes de Cananéia e da Bíblia.”…”Evidentemente, a estatueta pertencia a um dos moradores da cidade de Rehov, que era então governada pelo governo central, dos faraós egípcios.”

Por sua boa ação, representantes do IAA foram à escola primária no Kibbutz de Oren para presenteá-lo com um certificado de apreciação por boa cidadania.

Veja também

Mais um encontro inspirador, na B’nai B’rith, com a neuroeconomista Renata Taveiros de Saboia

Ontem, segunda-feira, tivemos mais um encontro inspirador na B’nai B’rith! A neuroeconomista Renata Taveiros de …