Presidente do Parlamento alemão e rechaça diretrizes da União Europeia para etiquetar produtos israelenses

Hoje, o presidente do Parlamento alemão se opôs à “imprudente “ decisão da União Europeia de etiquetar os produtos dos territórios da Cisjordânia e Colinas do Golã e de Jerusalém.
O Professor Norbert Lammert, presidente do Parlamento, inicialmente evitou o tema em uma coletiva de imprensa conjunta com o presidente do Knesset (Parlamento israelense) Yuli Edelstein, que mencionou o assunto em sua declaração.

“Tivemos uma discussão muito interessante sobre a decisão de etiquetar os produtos, a qual a Alemanha se opôs desde o princípio, mas a União Europeia segue adotando-a”, disse Edelstein. “Em nossa conversa falamos sobre a questão de se (a decisão) foi motivada ou não pelo antissemitismo…”, acrescentou.

Lammert disse que a decisão de etiquetar era “desnecessária e imprudente”, mas não provinha de um sentimento de antissemitismo. Segundo ele, a “Alemanha não somente não estava de acordo com a decisão, como a rechaçou” e disse que podia entender a ira de Israel”.

“Alemanha pode imaginar uma lei melhor, se se aplicar a todo o mundo, em principio, a todos os territórios ocupados”, assinalou e acrescentou que devido ao fato de ser especificamente contra Israel, “era desnecessária e pouco inteligente”.

Veja também

Nós, da B´nai B´rith repudiamos de forma enérgica e veemente outra declaração tendenciosa, antissemita, racista e fomentadora do ódio proferida na África, pelo presidente Lula.

Nós, da B´nai B´rith – Filhos da Aliança, com 90 anos no Brasil e 180 …