EI traz nova configuração ao Oriente Médio

O crescimento do Estado Islâmico (EI) está obrigando países a repensarem suas alianças e inimizades no Oriente Médio. O avanço territorial do grupo já impulsionou a cooperação militar entre os governos central do Iraque e regional curdo, até agora antagônicos. Também os Estados Unidos e seus aliados encontram-se ao lado de velhos inimigos, como as milícias xiitas, o regime de Bashar Assad ou o Irã dos aiatolás. Em alguns casos, as consequências podem ser contraproducentes. Se a coincidência de interesses dos EUA e do Irã na região pode remontar à derrubada de Saddam Hussein em 2003 – e à expulsão dos talibãs de Cabul, dois anos antes –, a possibilidade de beneficiar indiretamente Al Assad fez o presidente Barack Obama pensar duas vezes antes de estender os ataques à Síria. O governo desse país, que há três anos justifica a sua repressão brutal aos protestos populares como combate ao terrorismo, sente-se vingado com a reação internacional ao desafio jihadista.  (Ángeles Espinosa, El País)

Veja também

Dia 02 de maio, acontece mais um encontro através do Canal do YouTube da B’nai B’rith.

Domingo, dia 02 de maio às 17h, acontece mais um encontro através do Canal do …

Deixe uma resposta

Skip to content