Documentário reforça teoria de que Nisman foi assassinado

NizmanpUm documentário americano de 77 minutos lançado dia 1º, na internet, a 25 dias da eleição argentina, reforça a teoria de que o promotor Alberto Nisman, encontrado morto com um tiro na cabeça em 18 de janeiro em seu apartamento em Buenos Aires, foi assassinado. “Los Abandonados”, dirigido por Matthew Taylor, relaciona a morte à denúncia feita quatro dias antes por Nisman. Ele acusava a presidente Cristina Kirchner, o chanceler Hector Timerman e altos funcionários do governo de desistir de punir iranianos considerados pela Justiça autores do atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia) em troca de acordos comerciais com Teerã. O Irã abriga os oito acusados de planejar o ataque, que matou 85 pessoas em 1994.

O documentário traz entrevistas com políticos da oposição, repórteres, peritos, procuradores, juízes e ex-integrantes do serviço de inteligência.

(…) Todos apontam irregularidades propositais na investigação dos dois atentados e da morte do promotor. Integrantes do Hezbollah e do governo iraniano acusados negam participação em trechos de arquivo. (…) A linha oficial de investigação aponta para um suicídio, enquanto a família do promotor contratou peritos que garantem ter havido um homicídio.

A narrativa começa mostrando a associação judaica AMIA em ruínas após a detonação de uma furgoneta com explosivos e lembra que a embaixada de Israel tinha sido alvo dois anos antes, com 29 mortos. Descreve a anulação da investigação inicial do caso AMIA, razão pela qual um ex-juiz e o ex-presidente Carlos Menem são réus por encobrimento. Mostra também a reviravolta na relação do governo argentino com o iraniano (Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo/Boletim Conib).

Veja também

A B’nai B’rith convida para um “Bate-papo” com o autor Fernando Dourado.

06/06, quinta-feira, às 19h A B’nai B’rith convida para um “Bate-papo” com o autor Fernando …