Atentado, morte, revolta e erros

O primeiro-ministro israelense ordenou que fossem apuradas as responsabilidades pela morte de uma pessoa linchada na principal estação rodoviária de Beersheba ontem. O incidente ocorreu logo após o atentado terrorista que matou um soldado e deixou mais de dez feridos A pessoa, um migrante eritreu, foi confundido como sendo um segundo agressor e alvejado.

Enquanto estava caído no solo a população atirou cadeiras, chutando-o e a polícia procurou manter os a população furiosa a distanciam, sem sucesso. Era momento em que forças de segurança estavam indo ou retornando de suas bases. O terrorista palestino chegou de ônibus e arrancou o fuzil de um soldado, matando-o e disparando para todos os lados. Na confusão conseguiu fugir. As vítimas foram levadas para o Centro Médico da Universidade de Soroka.

“Dentro da estação havia vários feridos e deitados em raio de cerca de 30 metros, todos eles com idade por volta dos 20 anos”, disse ao “Jerusalem Post” o paramédico Gadi Abuhatzeira (O Globo). Funcionários israelenses revelaram que o Hamas está preparando uma série de ataques suicidas contra Israel e, segundo uma fonte palestina, a Autoridade Palestina prendeu um grupo de membros da organização extremista e apreendeu grande quantia em dinheiro e explosivos. Outros ataques aconteceram no dia de ontem.

Veja também

Mais um encontro inspirador, na B’nai B’rith, com a neuroeconomista Renata Taveiros de Saboia

Ontem, segunda-feira, tivemos mais um encontro inspirador na B’nai B’rith! A neuroeconomista Renata Taveiros de …