Professora corta trança de menina sem véu no Egito

Muitas mulheres do Egito usam o hijab, mas Mona ainda não se sentia “pronta”. A professora de uma menina de 11 anos foi condenada no Egito a pagar uma pequena multa e a cumprir uma pena suspensa de seis meses por cortar o cabelo de uma aluna como punição por não usar o véu islâmico.

 

A menina, Mona Barbesh, havia combinado com o pai que só usaria o hijab quando se sentisse “pronta”. Mas o acerto não foi respeitado na escola, e ela acabou sendo punida pela professora Iman Kilani com o corte de uma das tranças.

 

A professora acusada afirma ter visto duas meninas da escola sem o véu diversas vezes e que colegas reclamavam disso. “Como prometi tomar uma atitude, as outras meninas me cobravam insistentemente. Então, quando isso voltou a acontecer, um menino me emprestou uma tesoura e tive de manter a palavra e punir as duas.”

 

Muitas mulheres do Egito usam o hijab. Em Luxor e outras cidades do norte, o hábito começa desde os dez anos. Um representante do governo diz que não há leis que forcem as escolas a exigir o uso do véu, e a menina Mona vai poder continuar a ir à escola sem o véu islâmico.

Veja também

Lideres da B’nai B’rith se encontraram com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em Jerusalém

O CEO Dan Mariaschin, Presidente Charles Kaufman, Chefe do World Center-Jerusalem Haim Katz e o …

Deixe uma resposta