Ninguém nasce odiando outra pessoa

21 de Janeiro é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

“…Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender; e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar…” (Nelson Mandela)

O dia 21 de janeiro não é uma comemoração, mas um memorial, uma oportunidade de refletirmos e desenvolvermos ações para combater a intolerância em nossa sociedade.

No dia 21 de Janeiro do ano 2000, em Itapuã, na Bahia, em decorrência de forte perseguição de cunho religioso, faleceu a Sacerdotisa Gildásia dos Santos, popularmente conhecida como Mãe Gilda, que não resistindo aos ataques pessoais, invasões e depredações de seu terreiro, teve complicações cardíacas que resultaram em sua morte. Em decorrência dos desdobramentos desse fato, foi editada a Lei Federal nº. 11.635/07, tornando a data de 21 de Janeiro como Dia Nacional De Combate à Intolerância Religiosa.

Se o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa começou a fazer parte do calendário é porque temos a intolerância como uma característica sócio-cultural que deve ser combatida em todas as suas expressões. E quando analisamos a religião, chegamos ao ponto nevrálgico e central do que é uma sociedade. Esta não se entende sem a religião. Como dizia Durkheim, a religião é fato social. A religião (seja admitida ou proibida) concentra e expressa o ethos, o ser mesmo de um indivíduo ou grupo humano, com suas crenças, valores morais, utopias, desejos e modelos de vida que costumam ser tão religiosos quanto sociais e políticos. O Brasil é um país plural. A diversidade (da qual faz parte uma infinidade de expressões religiosas) é marca característica de sua constituição. No entanto, isso não garante que a tolerância e a boa convivência estejam presentes.

Que a proximidade do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa proporcione uma reflexão sobre o assunto que nos conduza a atitudes de respeito pelos diferentes, inclusive no campo religioso.

Veja também

Palestinos manterão luta pacífica, diz Abbas a palestinos da América Latina

Em carta dirigida à comunidade palestina da América Latina, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud …

Deixe uma resposta