Mensagem de Yom Hashoá da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania SP

Uma das mais tristes marcas que a humanidade deixou na história foi o resultado da intolerância e do desrespeito ao ser humano, em sua dignidade e liberdade: o Holocausto. Ele dizimou milhões de pessoas por motivos étnico-raciais e por defenderem posicionamentos políticos, religiosos e sociais destoantes daqueles impostos pela maioria branca que se considerava superior. Dentre esses povos, o mais vitimado foi o de origem judaica.

A expressão hebraica Yom Hashoá relembra a tragédia que dizimou seis milhões de judeus e judias, entre crianças, jovens e idosos. Apesar de lamentável, esta data não pode ser esquecida. É preciso lembrar e destacar, para que nunca mais se repita.

Nesta semana, a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo – cidade que é lar da maior parte da comunidade judaico-brasileira e de tantas outras que, mesmo de origens diferentes, são uma só humanidade – reafirma a urgência de estabelecermos uma cultura de paz que semeie a civilidade e o respeito pela diversidade e pela vida acima de tudo.

A B’nai B’rith foi pioneira na introdução do diálogo inter-religioso no Brasil.

Veja também

Palestinos manterão luta pacífica, diz Abbas a palestinos da América Latina

Em carta dirigida à comunidade palestina da América Latina, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud …