Tese de doutorado de Leslie Marko defendida com brilhantismo na USP

Foi realizada a Defesa de Tese de Doutorado de Leslie Marko diretora do espetáculo MERGULHO promovido pela B’nai B’rith e pesquisadora do LEER/ARQSHOAH, no dia 25 de abril às 9 horas no Prédio de Administração da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP):

Teatro de Sami Feder: espaço poético de resistência nos tempos do Holocausto (1933-1950)

A Banca Examinadora foi composta por: Orientadora – Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro, Profa. Dra. Berta Waldman (FFLCH-USP), Prof. Dr. Celso Cruz (ESPM-SP), Profa. Dra. Maria Silvia Betti (FFLCH-USP) e Prof. Dr. Márcio Seligmann Silva (UNICAMP).

A tese reconstitui a trajetória de Sami Feder (1906-2000), diretor de teatro judeu polonês que atuou no contexto do movimento de resistência artística e emocional sustentado por artistas, atores, diretores, autores e espectadores durante o período em que o nazifascismo dominou grande parte da Europa (1933-45). Leslie estende a análise para o período imediatamente após a liberação dos campos de concentração, especialmente o de Bergen-Belsen, por ser o Campo onde Feder permaneceu dias antes e 5 anos no final da Segunda Guerra. A relevância deste estudo está em resgatar e analisar historiograficamente o percurso e a atuação de Feder, que, por meio da arte teatral, aliada à música, literatura e poesia, buscou o exercício ético do acolhimento coletivo e da cidadania. O artista desenvolveu um teatro, pouco documentado devido às circunstâncias de reclusão e proibição e, ao mesmo tempo, de denúncia, crítica e reflexão subterrâneas durante a vigência do regime nazista. Mais tarde, com o fim da guerra, institucionalizou-se este teatro, com maior registro, criando-se a Companhia Kazet Theater, no Campo de deslocados DP Camp Bergen-Belsen (1945-50), onde a reabilitação e recuperação da dignidade humana tornou-se uma urgência frente ao desenraizamento e ao trauma. Ações intervencionistas como estas se propagaram pelas cidades ocupadas, guetos e campos de concentração, enquanto reação ao processo de desumanização sustentado pelo Estado nacional-socialista e países colaboracionistas. Posteriormente, significaram também uma forma de participar da reconstrução de uma identidade, de um povo, de uma cultura.

Para a pesquisa, análise e escrita da Tese, Leslie viajou por vários continentes na busca de testemunhos, sobreviventes, arquivos, documentos e registros sobre Sami Feder numa exaustiva investigação de 5 anos de duração. O resultado foi uma emocionante Defesa com direito a cena teatral, apresentação audiovisual e músicas que ela conseguiu da voz de Sonia Lisaron cantante da Companhia Teatral pesquisada.

Tese de doutorado de Leslie Marko defendida com brilhantismo na USP

Veja também

Bate-papo com o escritor Fernando Dourado sobre seu livro “O Halo Âmbar”.

Ontem, 06/06, quinta-feira, aconteceu bate-papo com o escritor Fernando Dourado sobre seu livro “O Halo …