Tese de doutorado de Leslie Marko defendida com brilhantismo na USP

Foi realizada a Defesa de Tese de Doutorado de Leslie Marko diretora do espetáculo MERGULHO promovido pela B’nai B’rith e pesquisadora do LEER/ARQSHOAH, no dia 25 de abril às 9 horas no Prédio de Administração da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP):

Teatro de Sami Feder: espaço poético de resistência nos tempos do Holocausto (1933-1950)

A Banca Examinadora foi composta por: Orientadora – Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro, Profa. Dra. Berta Waldman (FFLCH-USP), Prof. Dr. Celso Cruz (ESPM-SP), Profa. Dra. Maria Silvia Betti (FFLCH-USP) e Prof. Dr. Márcio Seligmann Silva (UNICAMP).

A tese reconstitui a trajetória de Sami Feder (1906-2000), diretor de teatro judeu polonês que atuou no contexto do movimento de resistência artística e emocional sustentado por artistas, atores, diretores, autores e espectadores durante o período em que o nazifascismo dominou grande parte da Europa (1933-45). Leslie estende a análise para o período imediatamente após a liberação dos campos de concentração, especialmente o de Bergen-Belsen, por ser o Campo onde Feder permaneceu dias antes e 5 anos no final da Segunda Guerra. A relevância deste estudo está em resgatar e analisar historiograficamente o percurso e a atuação de Feder, que, por meio da arte teatral, aliada à música, literatura e poesia, buscou o exercício ético do acolhimento coletivo e da cidadania. O artista desenvolveu um teatro, pouco documentado devido às circunstâncias de reclusão e proibição e, ao mesmo tempo, de denúncia, crítica e reflexão subterrâneas durante a vigência do regime nazista. Mais tarde, com o fim da guerra, institucionalizou-se este teatro, com maior registro, criando-se a Companhia Kazet Theater, no Campo de deslocados DP Camp Bergen-Belsen (1945-50), onde a reabilitação e recuperação da dignidade humana tornou-se uma urgência frente ao desenraizamento e ao trauma. Ações intervencionistas como estas se propagaram pelas cidades ocupadas, guetos e campos de concentração, enquanto reação ao processo de desumanização sustentado pelo Estado nacional-socialista e países colaboracionistas. Posteriormente, significaram também uma forma de participar da reconstrução de uma identidade, de um povo, de uma cultura.

Para a pesquisa, análise e escrita da Tese, Leslie viajou por vários continentes na busca de testemunhos, sobreviventes, arquivos, documentos e registros sobre Sami Feder numa exaustiva investigação de 5 anos de duração. O resultado foi uma emocionante Defesa com direito a cena teatral, apresentação audiovisual e músicas que ela conseguiu da voz de Sonia Lisaron cantante da Companhia Teatral pesquisada.

Tese de doutorado de Leslie Marko defendida com brilhantismo na USP

Veja também

Encontro da B’nai B’rith, no Zena Cucina, para a Confraternização de Purin

Aconteceu na noite da última quinta-feira (21), o encontro da B’nai B’rith para a Confraternização …