Terapia optogenética pode ser o futuro dos tratamentos cardíacos

Especialistas do Instituto de Tecnologia de Israel (Technion) desenvolveram uma nova abordagem para o tratamento da frequência cardíaca anormal usando uma terapia baseada em luz. A descoberta pode melhorar muito o tratamento de condições cardíacas e tornar os marca-passos eletrônicos obsoletos. A novidade evitará a necessidade de inúmeras cirurgias invasivas para implantação, manipulação e também para substituição de baterias e outras limitações.

A tecnologia optogenética permitiu aos pesquisadores ativar seletivamente proteínas sensíveis à luz em uma tentativa de regular a atividade elétrica do coração.

A optogenética se tornou uma ferramenta importante na pesquisa do cérebro, e o estudo atual, publicado recentemente na revista Nature Biotechnology, é o primeiro a traduzir essa importante inovação em uma ferramenta que pode regular e ressincronizar o batimento cardíaco. Estudos preliminares foram realizados com ratos.

O autor do estudo, o professor Lior Gepstein, destaca: “Precisamos melhorar a penetração da luz través dos tecidos, garantir a expressão contínua da proteína no coração por muitos anos e desenvolver um dispositivo de regulação de ritmo exclusivo que proporcione a iluminação necessária. Mas, apesar de tudo isso, os resultados do estudo demonstram o potencial único da optogenética tanto para terapias de correção do ritmo cardíaco (como uma alternativa aos marca-passos eletrônicos) quanto para as de ressincronização (para o tratamento da insuficiência cardíaca com dissincronia ventricular)”.

Veja também

Encontro da B’nai B’rith, no Zena Cucina, para a Confraternização de Purin

Aconteceu na noite da última quinta-feira (21), o encontro da B’nai B’rith para a Confraternização …