Plano de Partilha da Palestina em 1947, nas Nações Unidas (ONU)

Foi em 29 de Novembro de 1947 que se resolveu a partilha daquilo que sobrou da Palestina, pois em 1922, a Transjordânia já havia sido reconhecida oficialmente pelo Conselho da Liga das Nações, então sob o domínio do Mandato Britânico. Mais tarde, se tornou a Jordânia.

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, dirigida pelo Embaixador do Brasil Oswaldo Aranha se iniciou o processo da criação Estado Israel, então em votação que ocorreu em Maio de 1947.

Para entender um pouco mais da historia devemos tratar em rápidas pinceladas dos acontecimentos que antecederam este grande acontecimento.

Durante o domínio do Império Romano há mais de dois mil anos novamente os judeus foram expulsos de Israel e dispersos pelo mundo.

Devemos lembrar os acontecimentos na Espanha Católica, como a expulsão ou conversão dos judeus, outro fator de dispersão pela Europa.

A grande contribuição de sabedoria de Maimônides, também chamado de segundo Moises, no Oriente Médio.

A importante época de Napoleão Bonaparte, e a emancipação/Integração dos Judeus na França.

Foi em 1917 com o intenso trabalho de Chaim Weizman e seus amigos, seguindo o exemplo de Theodor Herzl que começou a se concretizar o anseio da criação do Estado de Israel. A Declaração Balfour pela Inglaterra, por Lorde Arthur James Balfour , secretário de Assuntos Estrangeiros, com a aprovação do plano de colonização na Palestina. Uma carta dirigida ao Barão Rothschild, líder da comunidade judaica do Reino Unido para transmitir a intenção do governo britânico de facilitar o estabelecimento de um Lar Nacional Judaico na Palestina, caso a Inglaterra conseguisse derrotar o Império Otomano que dominava a região.

Em 1918 é estabelecida a Universidade Hebraica de Jerusalém e se inicia criação dos kibutzim, colônias agrícolas.

Os tristes e bárbaros acontecimentos do Holocausto (1933-1945) sem duvida contribuíram para a criação do moderno Estado e Israel pelas Nações Unidas em Maio de 1947.

Estes são, de forma resumida e superficial alguns acontecimentos relevantes. Cada assunto merece um estudo a parte.

A aceitação da divisão da Palestina em dois Estados não foi aceita pelos países árabes, que consideram a data da partilha a de uma catástrofe.

Muitos até hoje não aceitam a existência de Israel. A primeira Guerra de Israel foi a da Independência em 1948, quando foi invadido por cinco países vizinhos. Devido à propaganda destes países, muitos árabes deixaram Israel. A guerra dos Seis Dias trouxe de volta para os judeus o Muro das Lamentações, então sob o domínio dos jordanianos, que não permitiam o acesso aos judeus ao seu local mais sagrado.

Ernesto Strauss – Diretor Cultural da B’nai B’rith do Brasil 

Veja também

A B’nai B’rith do Brasil convida você para o 2º Encontro com os Clássicos – Viagens & Cultura Henrique Goldberg

A B’NAI B’RITH do BRASIL convida você para o 2º Encontro com os Clássicos – …