Novo secretário-geral da ONU reconhece origem judaica do Monte do Templo em Jerusalém

Em entrevista para a Rádio Israel, concedida em 29 de janeiro, o novo secretário-geral da ONU, o português Antonio Guterres, disse o que deveria ser o óbvio: “É claro para mim que o Templo de Jerusalém foi destruído pelos romanos, era um templo judaico”. A entrevista provocou reações iradas entre os palestinos. Para Adnan al-Husseini, ministro para os Assuntos de Jerusalém da Autoridade Palestina, Guterres “negligenciou as resoluções da UNESCO, que dizem claramente que a Mesquita Al-Aqsa é uma herança islâmica”, noticiou o site português Observador. O ministro acrescentou que as declarações de Guterres representam “uma violação para todas as regras diplomáticas e legais e uma violação da sua posição como secretário-geral da ONU”. A Autoridade Palestina exige que Guterres se desculpe. Na entrevista, o secretário-geral disse outra coisa que também deveria ser óbvia: Israel deve ser tratado na ONU “do mesmo que todos os outros”, com “exatamente os mesmos direitos e obrigações” e “sem qualquer forma de discriminação”. (Conib)

Veja trecho legendado da entrevista (Conib)

Ouça a entrevista completa, em inglês (UN Watch)

Veja também

Mais uma iniciativa de sucesso da B´nai B´rith

O curso “Uma breve história da humanidade” teve início ontem com participação de grande quantidade …