Carta aberta em defesa dos povos Indígenas

O Seminário Índios no Brasil: Vida, Cultura e Morte realizado de 12 a 14 de maio, no Auditório da Biblioteca Brasiliana Guita e Jose Mindlin, na Cidade Universitária em São Paulo, vem sendo idealizado há anos pelo LEER- Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação que, desde 2006, tem como linha-mestra a defesa das minorias que, em algum momento da história, foram ou ainda são, tratados como párias ou cidadãos de segunda-classe.

Além de produzir conhecimentos de forma multidisciplinar, procuramos incentivar ações positivas que, através da educação, da ciência e da política, ajudem a combater os atos de intolerância, de injustiça social e de desrespeito aos Direitos Humanos.

Um dado interessante mostrado no evento é que segundo Censo do IBGE de 2010 há no Brasil 900 mil indígenas. Entretanto, o Censo de 1991, relata apenas 294 mil pessoas se autodeclarando indígenas. Não houve um aumento demográfico, mas um auto reconhecimento, a partir da Constituição de 1988, trazendo novos elementos legais que lhes auxiliaram em garantir, um pouco, seus direitos territoriais. Todavia, esses direitos, hoje, estão altamente ameaçados…

Assinam a Carta: Em nome da Comissão Organizadora Felipe Milanez, João Paulo Jeannine A. Carneiro, Maria Luiza Tucci Carneiro, e Tamara Prior.

Leia a integra em: Carta aberta aos povos indígenas

Veja também

B’nai B’rith São Paulo participou da campanha Run4Lives São Paulo pedindo a libertação imediata dos reféns em poder do Hamas

Neste domingo pela manhã, a B’nai B’rith São Paulo participou da campanha Run4Lives São Paulo …