Israel não foi criado para desaparecer

Por André Lajst – Diretor Executivo do IBI – Instituto Brasil Israel, de Nova Iorque para Rua Judaica

A palavra correta para descrever a sensação de estar em um dos lugares mais hostis a Israel, nos dias de hoje, e poder cantar o Hatikva com peito cheio de orgulho, não a encontrei até o momento.

Talvez seja orgulho, talvez seja vitória, talvez seja resiliência.

Durante a última quarta-feira, judeus e não judeus de vários países se encontraram na Assembleia Geral das Nações Unidas para o evento anual promovido pela Embaixada de Israel na ONU e o Congresso Judaico Mundial, para denunciar o movimento BDS e a deslegitimização de Israel.

A sessão solene, pela manhã, contou com discursos impactantes dos respectivos embaixadores dos EUA e Israel nas Nações Unidas, Nikki Haley e Danny Danon, seguidos pelo sempre emocionante discurso do Presidente da Agencia Judaica para Israel, Nathan Sharansky. Durante a tarde, estudantes, profissionais e ativistas se reuniram para discutir temas objetivos em relação a crescente onda anti-Israel no mundo acadêmico e nas redes sociais.

Em uma das sessões, escutei algo que marcou minha visita e minha presença neste importante evento: “Não há formulas magicas de combater a mentira e a difamação. Se existem pessoas dispostas a acordar todos os dias e trabalhar para danificar a imagem de Israel no mundo, nós precisamos fazer o mesmo para proteger a imagem de Israel no mundo. Se existem pessoas dispostas a criar estratégias de boicotar Israel, nós precisamos criar estratégias de prever seus passos e antecipá-los.

Em um mundo onde muitos jornais faltam com a verdade, onde o mundo acadêmico está repleto de professores e intelectuais que utilizam seus títulos e conhecimento para denegrir a imagem de Israel e, até, questionar sua existência, eventos como este são importantes para dizer ao mundo que nós judeus, e nós Israel, não ficaremos parados esperando o resultado.

“Israel não foi criado para desaparecer – Israel durará e florescerá, é o filho da esperança e o lar do valente, não pode ser quebrado pela adversidade nem desmoralizado pelo sucesso. Ele carrega o escudo da democracia e honra a espada da liberdade”. – John Kennedy.

www.ruajudaica.com.br

Veja também

B’nai B’rith na 10ª caminhada que reuniu 50 mil em prol da liberdade religiosa no RJ

A comunidade judaica participou em peso no domingo, 17 de setembro, com milhares de pessoas …