B’nai B’rith em entrevista à UNESCO: educação contra a intolerância 

A B’nai B’rith do Brasil ressalta a importância da lembrança e da memória do Holocausto, para que nunca mais se repita, e de educar contra a discriminação e a intolerância.

Há 14 anos promove em diversas cidades as Jornadas Interdisciplinares de Ensino da História do Holocausto destinadas aos professores.

Em São Paulo, a bem sucedida iniciativa pioneira, Projeto Mergulho, para as escolas municipais, entra em seu terceiro ano. Engloba Oficinas para Professores, Atividades em Sala de Aula, Apresentação da Peça Mergulho, Debate com os Atores, Redação de Cartas e Concurso, abordando os temas do Preconceito, da Discriminação e da Intolerância. Um grande sucesso entre os jovens, a peça trata também do Holocausto, da Escravidão, da Violência e do cotidiano dos Adolescentes.

A educação é um mecanismo de transformação, fundamental para a mudança de mentalidades. Fomos dizimados porque o mundo fechou as portas para os judeus. Fomos refugiados há 70 anos e entendemos o sofrimento das vítimas da maldade humana. Acreditamos na educação como um caminho contínuo e imprescindível.

Em entrevistas concedidas à UNESCO, a B’nai B’rith e o Arqshoah/LEER –  Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação – USP, coordenado pela  Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro relatam a parceria em diversas iniciativas.

Assista ao vídeo:

video12

Veja também

Palestinos manterão luta pacífica, diz Abbas a palestinos da América Latina

Em carta dirigida à comunidade palestina da América Latina, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud …