Israel é uma luz para as nações

Israel é uma luz para as nações

Yom Hazikaron – 22 de abril – 3- 4 Iyar

Yom Haatzmaut – 23 de abril – 5 de Iyar

Yom Hazikaron, o Dia da Memória dos Soldados Mortos de Israel, precede Yom Haatzmaut, Dia da Independência do Estado de Israel.

Como sempre, na história judaica, as festividades mesclam a tristeza e a alegria. E durante 12 horas, Israel pranteia os soldados que tombaram para sua existência e sua defesa durante todos esses anos, assim como lembra as vítimas do terrorismo. Às 20h00 de 3 de Iyar soa uma sirene de um minuto e todos param em silêncio. Às 10h00 do dia seguinte, a sirene ressoa em todo o país por dois minutos e tudo para. Tem início as cerimônias, que se repetem em todos os cemitérios onde há soldados. A solenidade de encerramento acontece no Monte Herzl, em Jerusalém, onde se encontra o túmulo do fundador do sionismo.

A tristeza dá lugar para a alegria, das comemorações de Yom Haatzmaut, que se estendem por todas as comunidades judaicas pelo mundo.

Este importante marco da existência do Estado de Israel é de vital importância para nós judeus.

Resumimos abaixo trechos de um artigo de um repórter italiano não judeu, que escreve no Jornal diário “Il Foglio”, duas vezes por semana.

“Por que Israel é uma grande nação”, de Giulio Meotti 

Não há outra nação nesta terra que desde a sua fundação há menos de sessenta anos teve de sacrificar 23 mil de seus soldados.

Não há outra nação cujas fronteiras não são reconhecidas.

Não há outra nação nesta terra, cuja população viva em tensão emocional permanente.

Não há outra nação nesta terra ameaçada de ser eliminada do mapa.

Não sei de outra nação nesta terra que provê seus inimigos de água; eletricidade, alimentos e tratamentos médicos.

E tampouco sei de outra nação nesta terra onde tenham ocorrido tantos milagres.

Imaginem um judeu indefeso, diante dos horrores dos crematórios e câmaras de gás, frente a um oficial nazista, que pensa somente em eliminar o ‘câncer judaico’, que sobrevive há dois mil anos.

Poderia esta indefesa vitima judia imaginar que a população de Israel, seria nove vezes maior do que em 1948, ano da criação do Estado de Israel?

Poderia esta indefesa vitima judia imaginar que em Israel se vive muito mais feliz do que em todos os países da Europa?

Poderia esta indefesa vitima judia imaginar que Israel tem a maior produção e publicações cientificas per capita do mundo?

Poderia esta indefesa vitima judia imaginar que em Israel se produz o maior número de publicações de novos livros de todo o mundo?

Poderia esta indefesa vitima judia imaginar que esta nação teria a maior proporção de títulos universitários em relação à sua população, face ao restante do mundo?

Poderia esta indefesa nação judaica imaginar que Israel seria o país, que em relação a sua população, possui maior numero de lançamentos de empresas de alta tecnologia no mundo?

Poderia se imaginar que esta indefesa nação judaica, seria o modelo de maior absorção de imigrantes no mundo?

Israel acaba de sair de outra guerra contra terroristas…

…Esta esperança é expressa nos rostos de seus soldados, heróis caídos e feridos de Israel. Seus rostos tem a alegria de viver, não tristeza, nem ódio.

Os terroristas e os seus protetores ocidentais querem destruir Israel porque Israel é uma luz para todas as nações.

Ele é único neste mundo em que vivemos, conclui o autor.

Comentário:  Só existe uma explicação:

AM ISRAEL CHAI, que viva eternamente o povo judeu.

Em Shalom

Ernesto Strauss – Diretor Cultural da B’nai B’rith do Brasil
Dezesseis entidades judaicas comemoram juntas os 67 anos de existência do Estado de Israel

Há dez anos a B’nai B’rith participa do evento União em Yom Há’aztzmaut. Em 2015, são dezesseis entidades judaicas que se uniram para comemorar os 67 anos da Independência do Estado de Israel, com uma semana de atividades que acontecerá de 23 a 30 de abril em São Paulo, e promete marcar esta importante data com uma programação cultural e festiva.

O evento União em Yom Ha’atzmaut resulta de uma parceria da A Hebraica, Agência Judaica, Arquivo Histórico Judaico, Beth- El,  B´nai B´rith do Brasil, Congregação Israelita Paulista, CONIB, Consulado Geral deIsrael, Federação Israelita do Estado de São Paulo, Fundo Comunitário, Israel Bonds, KKL Brasil, Lar das Crianças da CIP, Masa, Na´amat Pioneiras São Paulo, Unibes e WIZO São Paulo.

No domingo, 26 de abril, às 11h – Ato protocolar com a presença do cônsul Yoel Barnea e dirigentes da Conib, Fisesp e A Hebraica no Teatro Arthur Rubinstein.

Às 14h – sob a coordenação de Vivian Silberberg, a B’nai Brith oferece Culinária Alternativa – O aproveitamento total dos alimentos – Espaço Gourmet – Inscrições: 3818-8888.

Confira a programação no site da B’nai B’rith: www.bnai-brith.org.br

Yom-Haatzmaut

Veja também

Mais uma viagem de sucesso foi realizada pela nossa B´nai B´rith, desta vez em São lourenço – MG

Mais uma viagem de sucesso foi realizada pela nossa B´nai B´rith. Desta vez foi a …