Sucot: as quatro espécies e a União do povo judeu

  • Sucot:                         28-29/2015 – 17-18 de Tishrei 5776
  • Chol Hamoed:       30/09 – 03/10/2015 – 17-19 de Tishrei
  • Hoshaná Rabá:      04 de Outubro de 2015–20 de Tishrei
  • Shemini Azeret:   05/10/2015 – –21 de Tishrei -Yiscor
  • Simchat Torá:        06/10/2015- -22 de Tishrei

Estas são as datas das próximas festas judaicas, lembrando que se iniciam sempre na véspera.

Primeiramente, comemoramos Sucot, a Festa dos Tabernáculos.

Devemos passar esses dias na Sucá, em recordação aos quarenta anos no deserto, quando D’us não desamparou o povo judeu provendo sustento.

Assim, vemos o céu e ao mesmo tempo sentimos a fragilidade da Sucá, que pode ser comparada à da vida humana.

É também uma data com grande significado agrícola e campestre. A festa das cabanas em louvor à colheita.

Recorremos à Revista Morashá, número 85/2014, para explicar de forma resumida as quatro espécies que devemos reunir em Sucot, um dos principais mandamentos desta data.

Lulav, Etrog, Hadass e Aravá. Cumprimos este mandamento porque assim a Torá nos ordena. A razão porque devemos reunir e segurar estas quatro espécies tem importância secundária. O principal é a percepção de que fazê-lo é cumprir a vontade de D’s. No entanto, a Torá nos estimula a descobrir o significado de seus mandamentos. Lembremo-nos que um dos principais mandamentos da festividade de Sucot se refere às Quatro Espécies. Cada uma destas simboliza um tipo diferente de judeu.

O Lulav (a folhagem da palmeira) representa o erudito em Torá; Hadáss (a mirta), o judeu que pratica muitas ações boas; o Etrog (o citro), o judeu que estuda a Torá e pratica muitos atos de bondade, ao passo de que o Aravá (o salgueiro) representa um judeu que não é um estudioso, nem tampouco um líder e benfeitor, alguém que não tem riqueza espiritual, nem material.

O Hadass simboliza os judeus que se ocupam cumprindo o propósito divino ao criar o mundo. Cada vez que uma pessoa cumpre os mandamentos, Ela traz uma nova luz ao mundo.

O mundo precisa de grandes mentes – mas também de grandes corações.

O Etrog é o mais belo das quatro espécies. O Arava transmite o conceito fundamental do Judaísmo. Esta é a maior lição do Judaísmo e talvez dos judeus, absolutamente essencial para o nosso povo.

A maior lição, a força do povo judeu – Física e Espiritual – e este é o mandamento de Sucot, depende da nossa União, de cada um dos nossos.

“Pois este é seu significado, que festejamos neste espírito” – “Zman Simchatenu – Época de Júbilo”.

Maimônides, o grande médico e sábio judeu, nos diz: “Nos dias de prosperidade devemos lembrar-nos dos tempos da miséria e dificuldades e graças a estas lembranças nos manter humildes”.

Em Sucot, também rezamos por chuva, que tanto necessitamos nestes momentos.

Que festejemos em paz e em uma possível tranquilidade para o mundo.

Chag Sameach em Família e Shalom

Ernesto Strauss – Diretor Cultural da B’nai B’rith do Brasil

Veja também

Nós, da B´nai B´rith repudiamos de forma enérgica e veemente outra declaração tendenciosa, antissemita, racista e fomentadora do ódio proferida na África, pelo presidente Lula.

Nós, da B´nai B´rith – Filhos da Aliança, com 90 anos no Brasil e 180 …