Promotor argentino que denunciou governo sobre caso AMIA é encontrado morto em Buenos Aires

Uma triste notícia aguardava todos que acompanham o caso do atentado à sede da AMIA, na Argentina e pedem por justiça. Nesta manhã foi encontrado o corpo do promotor argentino Alberto Nisman, promotor da ação pelo atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA).

Nisman denunciou a presidente Cristina Kirchner por suposto encobrimento do Irã no atentado que matou 85 pessoas em 1994.

Foi encontrado morto no banheiro, com um tiro na cabeça, em sua casa em Buenos Aires em circunstâncias ainda não esclarecidas.

O corpo de Nisman foi descoberto apenas algumas horas antes de seu comparecimento previsto para hoje ao Congresso para detalhar a denúncia que atinge Cristina e vários de seus colaboradores pelo suposto encobrimento dos autores do atentado contra a AMIA que causou 85 mortos e mais de 300 feridos em 1994. A deputada opositora Patricia Bullrich, uma das primeiras a ir à casa de Nisman após saber de sua morte, explicou para a imprensa que o promotor lhe tinha revelado que havia sido ameaçado de morte e que, inclusive, tinha transmitido sua preocupação à Procuradoria Geral para que reforçassem sua segurança. “Um promotor morto antes de fazer um relatório ao Congresso em uma causa onde há terrorismo internacional me parece de uma enorme gravidade”, acrescentou Bullrich (Com notícias da EFE).

Veja também

B’nai B’rith está consternada com a invasão no Capitólio dos Estados Unidos

(Washington, D.C., 6 de janeiro de 2021) – O presidente da B’nai B’rith Internacional, Charles …

Skip to content