Mais um israelense esfaqueado, depois de mostrar as flores do deserto à família

Os Estados Unidos condenaram hoje em uma declaração do Departamento de Estado o ataque terrorista que matou ontem Tuvia Yanai Weissman, um cidadão com dupla nacionalidade, norte-americana e israelense.

Mais uma vez centenas de pessoas acompanharam um enterro no cemitério do Monte Herzl, em Jerusalém. Soldado das Brigadas do Nahal, era casado e tinha um bebê de quatro meses. Foi atacado em um supermercado quando fazia compras com a família em sua folga e não estava armado. Mais uma morte praticada por adolescentes palestinos, no que a ONU considera uma “violência natural” porque eles não vêm perspectivas de um futuro melhor. É uma simplificação brutal e nada justifica o assassinato.

No enterro, o pai de Tuvia disse que o filho tinha levado a neta para ver as flores no deserto do Negev um dia antes de ser morto: “…. Nada, nenhum ódio, nenhum inimigo, nunca vai por um fim nisso”, afirmou.

Veja também

Nós, da B´nai B´rith repudiamos de forma enérgica e veemente outra declaração tendenciosa, antissemita, racista e fomentadora do ódio proferida na África, pelo presidente Lula.

Nós, da B´nai B´rith – Filhos da Aliança, com 90 anos no Brasil e 180 …