Hungria condena decisão da União Europeia de etiquetar produtos israelenses da Cisjordânia

O chanceler húngaro, Peter Szijjarto, considerou “irracional” a decisão da União Europeia de etiquetar produtos israelenses fabricados em territórios palestinos sob ocupação. “Não apoiamos essa decisão. Esse é um instrumento irracional e ineficiente, que não contribui em nada para a solução do conflito (israelo-palestino) e que, ao contrário disso, só prejudica (a possibilidade de retomada de negociações)”. Szijjarto foi recebido ontem no Knesset (Parlamento israelense). O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, elogiou as declarações de Szijjarto e agradeceu o apoio húngaro (Aurora). O chefe da Comissão para as relações com Israel do Parlamento Europeu, Fulvio Martusciello, também criticou a medida, considerando-a um “erro”. “A Europa supervaloriza as questões relacionadas a Israel, enquanto ignora os 200 conflitos que existem no mundo”, observou.

www.itongadol.com.ar

Veja também

31 de março – Dia de Lembrança da Inquisição

Você sabe o que foi a “Santa Inquisição”? Iniciada na Espanha em 1478, tinha como …