Antissemitismo gera emigração recorde da Europeia Ocidental para Israel

Em meio ao aumento dos ataques antissemitas, 9.880 fizeram aliá, (“subir” para Israel) em 2015.

A grande maioria, perto de 8.000, veio da França. Cerca de 800 judeus emigraram da Grã-Bretanha neste mais recente êxodo. Itália e Bélgica são os próximos na lista.

“Que um número recorde de judeus europeus sente que a Europa já não é a casa deles deve alarmar os líderes europeus e servir como um despertar para todos aqueles que estão preocupados com o futuro da Europa,” disse o presidente da Agência Judaica, Natan Sharansky.

“Ao mesmo tempo, o fato de que Israel tornou-se o destino número um para os judeus da Europa buscando construir um futuro melhor é uma homenagem aos valores que representa o estado judeu,” acrescentou Sharansky.

Especialistas dizem que os judeus da Europa não tem sentido esta ameaçada desde a Segunda Guerra mundial. Os judeus têm sido alvo na Bélgica, Dinamarca e outros países europeus, mas o pior acontece na França.

A comunidade judaica da França de cerca de 500.000 é a maior da Europa. Sinagogas e escolas judaicas são muitas vezes cercadas por soldados em uniforme de combate, que patrulham as ruas com fuzis automáticos. Embora os judeus componham menos de 1% da população, foram alvo de mais de 50% de todos os ataques racistas relatados em 2014.

Veja também

Nós, da B´nai B´rith repudiamos de forma enérgica e veemente outra declaração tendenciosa, antissemita, racista e fomentadora do ódio proferida na África, pelo presidente Lula.

Nós, da B´nai B´rith – Filhos da Aliança, com 90 anos no Brasil e 180 …