Visita histórica do primeiro ministro de Israel à Argentina

O presidente Mauricio Macri e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu selaram ontem uma aliança entre os dois governos na luta contra o terrorismo. O chefe de governo israelense acusou o Irã pelo atentado à AMIA e Macri, indignado, destacou: Como pode ser que um promotor é morto e nada acontece? Ambos fizeram uma declaração conjunta à imprensa, assumindo um “compromisso inquebrantável”, na luta contra o terrorismo internacional. Macro também entregará ao primeiro-ministro de Israel cerca de 40 mil documentos sobre nazistas na Argentina.

O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, afirmou que o Brasil não foi inserido nessa viagem do premiê israelense à América Latina porque quando o roteiro foi definido ainda não se sabia se o presidente Michel Temer sobreviveria à votação no Congresso e que ambos deverão se encontrar ainda em setembro, na próxima reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York.
Veja mais em www.clarin.com

Veja também

PODCAST sobre antissemitismo

O primeiro da série, cujo objetivo é promover o bate papo entre distintas gerações a …

Skip to content