Visita histórica do primeiro ministro de Israel à Argentina

O presidente Mauricio Macri e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu selaram ontem uma aliança entre os dois governos na luta contra o terrorismo. O chefe de governo israelense acusou o Irã pelo atentado à AMIA e Macri, indignado, destacou: Como pode ser que um promotor é morto e nada acontece? Ambos fizeram uma declaração conjunta à imprensa, assumindo um “compromisso inquebrantável”, na luta contra o terrorismo internacional. Macro também entregará ao primeiro-ministro de Israel cerca de 40 mil documentos sobre nazistas na Argentina.

O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, afirmou que o Brasil não foi inserido nessa viagem do premiê israelense à América Latina porque quando o roteiro foi definido ainda não se sabia se o presidente Michel Temer sobreviveria à votação no Congresso e que ambos deverão se encontrar ainda em setembro, na próxima reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York.
Veja mais em www.clarin.com

Veja também

Na tarde de 24 de novembro o público lotou a sala da palestra do professor Israel Blajberg

Na tarde de 24 de novembro o público lotou a sala da palestra do professor …

Skip to content