Partiu de nossa convivência a nossa eterna Profa. Dra. Rifka Berezin z”l.

Dra. Rifka Berezin z”l.
Foto: facebook

Além de professora, escritora e educadora, ela sempre se apresentava, perante a nossa B’nai B’rith, quando convidada, com um sorriso meigo e gentil.

Sem dúvida, fará falta. Mas nos deixou um amplo e belo legado, com os seus alunos e alunas, os diversos departamentos, livros e seus pensamentos.

Abaixo, apresentamos um texto em sua homenagem da Profa. Dra. Nancy Rozenchan.

Profa. Dra. Rifka Berezin z”l nasceu em Israel.

No Brasil, estudou no Colégio do Estado, na época, o mais afamado da cidade. Paralelamente cursou o Seminário de Professores de Hebraico.

Formou-se em Ciências Sociais pela USP, onde também obteve os seus demais títulos acadêmicos.

Durante anos foi professora no Colégio Renascença onde, na década de 1960, introduziu um novo conceito escolar, o Ginásio Moderno, que ela dirigiu por diversos anos. Ainda na década de 60, atuou por um breve período como professora substituta no recém-criado curso de graduação de hebraico, a convite do Prof. Dr. Fritz Pinkuss.

Logo em seguida, passou a fazer parte do corpo docente da área onde atuou até a sua aposentadoria.

Além da consolidação do curso de graduação, criou e desenvolveu cursos de extensão universitária, de especialização, curso de ídiche e cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado), únicos no Brasil, nos quais orientou diversas dissertações e teses.

Ampliou as suas pesquisas na Inglaterra e em Israel. Participou, no final da década de 1960, junto com outros professores de outras áreas da USP, da criação do Centro de Estudos Judaicos.

Na USP, foi ativa nos diversos grêmios e conselhos acadêmicos. Foi responsável pela vinda de diversos professores do exterior que atuaram por diversos períodos em docência e pesquisa local.

Foi responsável ainda pela realização de diversos eventos extracurriculares.

Num gigantesco trabalho, liderou a equipe que elaborou o dicionário hebraico-português editado pela EDUSP. Diversas outras publicações escolares e acadêmicas se devem a ela.

Era viúva do médico Dr. Abrão Berezin. Deixa quatro filhos, netos, bisnetos e o irmão, Duda Auerbach.

Nancy Rozenchan

Veja também

10 DE DEZEMBRO: DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS

Carta do “imortal” Marcos Vinicios Vilaça, ex-presidente da Academia Brasileira de Letras – ABL, especial …

Skip to content