Obrigado por tudo, Profa. Dra. Anita Waingort Novinsky (Z’L)

Dra. ANITA WAINGORT NOVINSKY, Z’L.

Faleceu hoje, 20 julho de 2021, em São Paulo, a Professora Doutora Anita Waingort Novinsky (Z’L), importante historiadora brasileira, reconhecida nacional e internacionalmente, por seus estudos sobre os cristãos-novos no Brasil e a Inquisição portuguesa.

Anita nasceu em Stachow (Polônia) em 22 de novembro de 1922 e emigrou com sua família para o Brasil quando tinha apenas um ano de idade.

Graduou-se em Filosofia pela Universidade de São Paulo em 1956, com especialização em Psicologia.

Doutorou-se em História Social em 1970 e fez pós-doutorado pela Universidade de Paris em 1983.

Sua trajetória acadêmica só pode ser descrita se relacionada a um dos temas mais caros da humanidade: OS DIREITOS HUMANOS.

Sempre que teve a oportunidade, Anita contestava publicamente o perigo do antissemitismo e dos regimes totalitários que, por meio da dominação, não permitem a livre iniciativa em qualquer domínio da vida.

Anita Novinsky formou discípulos e, como historiadora e filósofa, deixa um amplo legado que extrapola a sua produção acadêmica. Sob este prisma, Anita ensinou os seus alunos e alunas a ler nas entrelinhas dos documentos, alertando-os sobre a liberdade de expressão enquanto um direito fundamental do indivíduo.

Nos anos 70, Novinsky inaugurou uma importante linha de pesquisa no Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP: os estudos inquisitoriais sobre o prisma da história das mentalidades.

Assim, é do particular – da história dos cristãos-novos na Bahia – que Novinsky construiu um modelo teórico para repensarmos a questão do “outro” em todas as suas dimensões.

Como historiadora irreverente, Anita marcou um importante espaço nos estudos sobre marranismo e os cristãos-novos que viveram no Brasil.

Assim ela formou a “Escola Novinsky”: um grupo de pesquisadores que, em 2002, ajudaram-na a fundar o LEI- Laboratório de Estudos sobre Intolerância junto à Universidade de São Paulo.

Sempre incansável e determinada, tomou a corajosa iniciativa, na primeira década do nosso século, da construção, na Universidade de São Paulo, do Museu da Tolerância, cujo principal objetivo é combater intolerâncias políticas, religiosas, culturais e sociais, com seções temáticas sobre índios, africanos e judeus, minorias tradicionalmente vítimas de intolerância. “Crianças, adolescentes e adultos poderão aprender sobre os fenômenos históricos que produziram tanto sofrimento à humanidade”, dizia a fundadora, Dra. Anita.

A nossa entidade, B’nai B’rith, filhos da aliança, sente-se plenamente honrada por ter viabilizado os recursos para a realização do Concurso que selecionou os Arquitetos que projetaram um belíssimo conjunto desafiador e condizente com os desafios que a prática da Tolerância nos coloca, como seres humanos.

Anita e seu saudoso marido Mauricio foram membros de nossa entidade durante muitos anos. Deixam duas filhas: Sonia e Ilana.

Anita Waingort Novinsky mudou a historiografia brasileira deixando um extensa obra que, sem dúvida, ajudará seus leitores a contestar diante da discórdia e a buscar, sempre, a expressão da justiça, da ética e da lealdade. Amava Israel e tinha orgulho de ser judia, em todas as latitudes do seu pensamento.

Entrevistada por Rachel Mizrahi, pesquisadora do Núcleo de Estudos Arqshoah, Anita Novinsky deixou registrado seu amor à vida:

“Sinto a vida muito forte dentro de mim. Gosto das pessoas, animais, da natureza, de sentir o mundo correr, comer e ouvir música. Todos meus sentidos se abrem à beleza do viver. Como diz Suassuna, ‘gostei de ter nascido’. Ainda que tudo seja finito e, nos deparemos com separações que nos entristecem, a vida é bela e vale a pena ser vivida. Meus pais se foram, minha irmã – uma segunda mãe para mim, que também se foi – levam-me a brigar com a morte. Embora a vida tenha coisas cruéis, eu gosto de viver. Penso muito quando irei embora”.

Deixa um inesquecível legado para a humanidade que, certamente, será mantido e continuamente aperfeiçoado pelos seus discípulos.

Obrigado por tudo, Profa. Dra. Anita Waingort Novinsky (Z’L)
B’nai B’rith do Brasil

Obrigado por tudo, Profa. Dra. Anita Waingort Novinsky (Z’L)

Veja também

Marcos Losekann, o jornalista e escritor ao vivo no Canal do YouTube da B’nai B’rith

Mais um encontro marcado! O jornalista e escritor Marcos Losekann falará sobre o tema: “Guerra e Paz …

Skip to content