“Por que o Ocidente tem medo de condenar a Arábia Saudita no Iêmen?”

O Departamento de Estado dos EUA afirma que a Arábia Saudita e seus aliados dos Emirados Árabes Unidos têm feito o suficiente para evitar a morte de civis na Guerra do Iêmen. A certificação foi anunciada pelo secretário de Estado, Mike Pompeo, e autoriza aeronaves americanas a seguirem reabastecendo aviões destes países usados nos bombardeios no conflito no território iemenita.

Mas imaginem se os sauditas não estivessem fazendo o suficiente? Afinal, o regime de Riad já bombardeou casamentos, funerais, hospitais e até ônibus escolares. O que falta bombardear?

Impressiona, como já escrevi diversas vezes, como a Arábia Saudita desfruta de imunidade nas suas atrocidades e crimes de guerra. Insisto, os EUA não estão errados ao condenar o Irã e a Síria. O erro está em ser conivente com os crimes cometidos pela Arábia Saudita. Tampouco está errado condenar os Houthis, que são os adversários sauditas no Iêmen. Mas por que não questionam o fato de o regime de Riad evitar ataques contra alvos da al-Qaeda na Península Arábica no Iêmen? Aliás, os terroristas da rede fundada pelo saudita Osama bin Laden têm ampliado seu território graças aos bombardeios da Arábia Saudita. Não há, na política internacional, maior hipocrisia do que o apoio à Arábia Saudita.

O que faria o Ocidente deixar de apoiar a Arábia Saudita? Afinal, que fique claro, nações europeias também vendem armas indiscriminadamente para o regime em Riad. Será que se 15 sauditas, de um total de 19, participassem de atentados em Nova York e Washington em uma manhã ensolarada de uma terça-feira seria o bastante? Talvez o apoio a uma vertente do islamismo seguida por grupos jihadistas como o Estado Islâmico, a al-Qaeda, o Talibã, o Boko Haran e o al-Shabab?

Obviamente, parece que nada alterará este apoio. Mesmo presidentes tão diferentes entre si como Barack Obama e Donald Trump evitaram bater de frente com a Arábia Saudita.

É surreal como o Irã é sempre o “inimigo” e os sauditas, nunca. Quando o Irã comete atrocidades na Síria, é corretamente condenado. Seu apoio ao Hezbollah, também. Mas quando a Arábia Saudita faz o mesmo em relação a grupos terroristas jihadistas da oposição na Síria ou mata crianças no Iêmen, é ignorada.

Guga Chacra – O Globo

Veja também

Na tarde de 24 de novembro o público lotou a sala da palestra do professor Israel Blajberg

Na tarde de 24 de novembro o público lotou a sala da palestra do professor …

Skip to content