Parashá Ki Tissá

Parashat Hashavua por Ernesto Strauss

 

“Moisés anulou o seu voto”
Fonte: Rabino Jonathan Sacks escreve:

Começou o final da construção do Mishcan, no Templo. Cada um contribuiu com meio shekel material, que serviu para fazer um censo da população. Moisés subiu a montanha para receber os dez mandamentos. O povo se desesperou pela demora e construiu um bezerro de ouro para adorar. Quando Moisés retornou, ficou furioso e quebrou os mandamentos.

Subiu de novo a montanha e recebeu novos mandamentos . Pediu ao Eterno que perdoasse ao povo pelo erro.

Isto significa grandeza de perdoar. Em 10 de Tishrei comemoramos Iom Kipur, dia da grandeza de perdão.

Eu acredito que nós sempre devemos cumprir nossas promessas. Se não as cumprimos em Iom Kipur, perdemos a justiça de nossas liberdades. Nós temos a escolha entre a justiça e o perdão. A escolha entre o perdão e um processo do perdão.

——————————–

“Uma Lição Política”
Fonte: Pinchas Hacohen Peli z”l

Quando o povo sentiu Moisés demorar a descer da montanha, reuniu-se com Aarão e lhe disse: “Vamos fazer um D’us! Vamos fazer um que atenda as nossas vontades porque este Moisés que nos retirou do Egito não sabemos o que lhe aconteceu”.

E assim fizeram e moldaram um bezerro para adorar!

Este estranho comportamento psicológico das massas, segundo os rabinos, nos leva a refletir porque não escolheram Aarão, que lhes estava perto. Preferiram criar algo diferente. É típico das massas prestigiar algo de fora em vez de prestigiar o mais próximo.
É longo o caminho para a liberdade.

——————————–

“D’us que mata – God who kills”
“D’us que perdoa – God who forgives”
World Union for Progress Judaism.
Fonte: Rabino Raul Shapiro – Fundação One River

O que me preocupa é a falta da indicação de Aaron pela ausência de Moisés. É uma reação psicológica das massas.

“Faça o Eterno para nos liderar pelo homem, e que nos tirou da terra do Egito com mão forte, e que nos conduziu, o que será que lhe aconteceu?”. (Shemot 32.1). Eles necessitavam de um Moisés para que os liderasse e de um D´us.

Eles necessitavam de um bezerro de ouro. Quando Moisés desceu da montanha, ele transformou o bezerro de ouro em pó. Três mil foram eliminados antes de Moisés pedir perdão pelo povo.

Não é D’us que pune; mas é Ele que nos perdoa. O povo terá compaixão, justiça e piedade.

“O que é odioso para você, não o faça aos outros. Pratique a empatia!”

Veja também

Parashá Vayakhel-Pekudei

  “Judaísmo é a Voz da Esperança” Fonte: World Union of Progesive Judaism. Rabino Joel …

Skip to content