Jaime Spitzcovsky analisa o Oriente Médio, em evento do IBI

Ao iniciar o evento, David Diesendruck apresentou as realizações do IBI – Instituto Brasil-Israel – junto à mídia, universidades, produção de material e cursos desde sua criação em 2016.

Saiba mais: www.institutobrasilisrael.org

Depois, em excelente palestra Jaime Spitzcovsky abordou o tema do Oriente Médio, mesclando em sua análise história e fatos recentes fornecendo um panorama diferente do que a mídia tem trazido nas últimas semanas.

Em sua opinão é significativo que o primeiro país a ser visitado pelo presidente Donald Trump após sua posse foi a Arábia Saudita, que não enviou representante de primeira linha à Conferência Islâmica na Turquia, onde o presidente Erdogan e seu colega da Autoridade palestina Mahmoud Abbas vociferaram contra Israel e os Estados Unidos.

O reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel por parte de Trump não foi bem compreendido pela mídia, destaca Spitzcovsky, porque em nenhum momento Trump se manifesta contra a divisão de Jerusalém e qual seriam as fronteiras. Ao contrário, ele diz que estas e outras questões do processo de paz devem ser definidas entre israelenses e palestinos.

Então, nem a decisão de Trump de mudar a embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém, sem data definida, significa o fim do processo de paz, nem representa exatamente o que o primeiro-ministro de Israel gostaria. O jornalista destacou também o fato de que o anúncio aconteceu em 6 de dezembro e até o momento a ameaça da terceira Intifada, a de Al-Aksa, não se concretizou, porque a Arábia Saudita não tem interesse nisso. E sim, em se aproximar de Israel. Muito mais foi falado nessa verdadeira aula sobre os diversos atores na complexa região do oriente Médio, que envolve as principais potências. David Diesendruck apresentou

Veja também

Noite de Cristais – 81 anos depois

Como sobrevivente do Holocausto, não posso deixar de lembrar esta triste data que marcou o …

Skip to content