Fundo Comunitário recebeu ministro israelense Yoav Galant

A nova lei que define oficialmente Israel como um Estado judeu não prejudica em nada as minorias que moram no país, e protestos desses grupos têm apenas objetivo de obter ganhos políticos, afirmou o ministro israelense de Habitação e Construção, Yoav Galant. O ministro lembrou que isto já consta da Declaração de Independência de Israel e desta forma o país será sempre um porto seguro para os judeus de todo o mundo. Disse ainda que o fato de Israel ter uma identidade judaica não tira os direitos das minorias – dois milhões de árabes e 80 mil drusos – uma vez que o país é uma democracia.
Sobre as fronteiras, Galant ressaltou que o Hamas é uma questão política, mas não oferece perigo à Israel. O problema maior seria uma aproximação do Irã, seja através da Síria ou, eventualmente, da Jordânia. Questionado pelo jornal Folha de S.Paulo acerca das perspectivas de paz, disse: “Se eu olho para o futuro muito distante, sou muito otimista. Se eu olho para os próximos anos ou o próximo mês, sou muito pessimista. Esse comportamento me guiou a vida toda: pense positivamente, mas se prepare para o pior cenário”.

Sabina e Abraham Lowenthal, presidente do Fundo Comunitário, ao lado do ministro Yoav Galant

Veja também

Mais um evento confirmado. Participe!

Vem aí mais um encontro virtual. Desta vez o tema será Holocausto em Memória. A …

Skip to content