Fake News, tema de Clóvis Rossi e Eugênio Bucci em evento do CJLA

Na última quinta-feira, 13 de setembro, o Grupo de Novas Gerações-Brasil do Congresso Judaico Latino-Americano promoveu debate sobre Fake News.

Realizado com apoio e na sede da B’nai B’rith em São Paulo, o debate reuniu o jornalista Clóvis Rossi (Folha de S.Paulo) e o professor titular da Escola de Comunicações e Artes da USP Eugênio Bucci (O Estado de S.Paulo), tendo como moderador Ariel Krok.

Para Rossi, as falsificações não são novidade. Os Protocolos dos Sábios de Sião, disse, consistem em uma conhecida falsificação utilizada por antissemitas, incluindo a propaganda nazista.
Bucci por sua vez considera as Fake New um fenômeno novo, criando falsificações para se passar por notícias, comercializadas a quem pagar mais, sem viés ideológico, e muito perigosas pela rápida disseminação usando a tecnologia da informação. As Fake News podem também causar mortes, como já aconteceu inclusive no Brasil, lembrou.

Ambos afirmaram que o jornalismo pode ser bom ou mau, cometer erros, mas é responsável pelo que noticia. Já no caso das Fake News em geral não se sabe de onde vem. Embora quem as dissemina também possa ser punido pela lei.

Como combatê-las? Através da educação, do conhecimento e da informação de fontes conhecidas.
Bucci alertou ainda para o perigo da polarização política, das generalizações e das pessoas ao considerar que os fins justificam os meios ao repassar mentiras sobre os “inimigos” políticos.


Clóvis Rossi, Silvia Perlov. Ariel Krok e Eugênio Bucci


Grupo de Novas Gerações-Brasil do CJLA


Zeila Sliozbergas, presidente da B’nai B’rith São Paulo prestigia evento do CJLA, ladeada por Sueli Roberts e lena Barcecat

Veja também

Revista ISTOÉ pratica discurso de ódio

É com total indignação que nos deparamos hoje com a matéria de capa da revista …