“Extremismo expõe urgência de lei antiterror”, afirma Lottenberg

A ONU criou o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, “para que a memória cumpra seus papéis, entre os quais o de impedir que tragédias como aquela voltem a ocorrer”, afirmou o presidente da Conib, Fernando Lottenberg, na solenidade promovida na noite desta terça-feira, 27, pela entidade, pela Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil em homenagem aos seis milhões de judeus dizimados pela barbárie nazista e também em lembrança aos 70 anos da libertação do campo de extermínio de Auschwitz.

“O que aconteceu em Paris redefine a situação de segurança e o status dos judeus e outras minorias no mundo. O mesmo terrorismo que mata judeus por serem judeus, mata cristãos por serem cristãos, xiitas por serem xiitas, sunitas, ocidentais e assim, sucessivamente.

Para enfrentar essas situações, são necessários instrumentos legais adequados. Apesar de nossa Constituição repudiar o terrorismo, o Brasil até hoje não aprovou uma lei antiterrorismo, mesmo com recomendações da ONU nesse sentido. Vamos nos dedicar a essa tarefa, para que nosso país possa continuar livre dessa praga mortal, que assola o mundo de hoje”, finalizou.

Panorama da cerimônia no Palácio do Itamaraty. Fotos: Valerio Lopez.
Panorama da cerimônia no Palácio do Itamaraty. Fotos: Valerio Lopez.
A partir da esquerda, Giancarlo Summa, Fernando Lottenberg, Francisco Dornelles, Paulo Maltz, Alessandro Molon e Marcelo Calero.
A partir da esquerda, Giancarlo Summa, Fernando Lottenberg, Francisco Dornelles, Paulo Maltz, Alessandro Molon e Marcelo Calero.
Acendimento da primeira vela: Alfredo Sobotka, sobrevivente de Auschwitz; Karina Kupfer, presidente do Conselho Juvenil Sionista; Claudio Nascimento, do Movimento LGBT, e babalaô Ivanir dos Santos, da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa,
Acendimento da primeira vela: Alfredo Sobotka, sobrevivente de Auschwitz; Karina Kupfer, presidente do Conselho Juvenil Sionista; Claudio Nascimento, do Movimento LGBT, e babalaô Ivanir dos Santos, da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa,
Milton Gonçalves confraterniza com Aleksander Laks.
Milton Gonçalves confraterniza com Aleksander Laks.
27-janRio10Jorge-Doroctorovich
Futuro presidente da B’nai B’rith Rio de Janeiro, Jorge Doctorovich, participou do evento juntamente com o atual presidente Carlos Grand, Jayme Gudel e Freddy Glatt. Na foto, do lado esquerdo do embaixador interino de Israel.

Leia o discurso completo de Fernando Lottenberg no final deste texto.

VEJA GALERIA COM 676 FOTOS DA CERIMÔNIA NO RIO.

Veja também

A B’nai B’rith convida para evento especial “O Psicanalista vai ao cinema”

A B’nai B’rith convida para evento especial, “O Psicanalista vai ao cinema” 📅 26/05, domingo …