Egito quer alterar Acordos de Camp David

Três advogados entraram com uma ação contra o presidente do Egito, Mohamed Morsi, o primeiro-ministro Hisham Qandil e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mohamed Amr.

O presidente egípcio, desde sua eleição em junho, vem recebendo pedidos para cancelar os Acordos de Camp David, firmados com Israel. Outra hipótese seria alterar a cláusula que limita a presença militar do Egito no Sinai, que resultou em um número crescente de grupos terroristas na península. Em particular o crescimento dos grupos armados jihadistas é visto como uma ameaça à soberania nacional do Egito.

 

Ao rejeitar a ação, o juiz Fareed Nazieh Tanagho disse que o tribunal não tinha competência para julgar o caso.

 

Um dos defensores mais ferrenhos da anulação dos acordos de Camp David foi conselheiro de Morsi, o analista político Mohamed Esmat Seif Dawla, que disse a uma revista que a cláusula 4 do tratado restringe a liberdade do Egito e deve ser alterada antes que o Sinai “esteja completamente perdido”.

Dawla afirmou que, sob as medidas de segurança estipuladas no tratado, também há uma chance de que Israel possa mover-se para ocupar a península novamente.

Veja também

Encontro pelo Youtube da B’nai B’rith, confira pelo link!

O jornalista da Folha de São Paulo, Jaime Spitzcovsky, falará sobre o Impacto da Pandemia …

Deixe uma resposta

Skip to content