Data histórica para todos os cidadãos brasileiros, em especial aos judeus brasileiros e seus ascendentes.

Data histórica para todos os cidadãos brasileiros, em especial aos judeus brasileiros e seus ascendentes.

Pela primeira vez, com a presença do Exmo. ministro de Estado das Relações Exteriores, Carlos Alberto Franco França, o Brasil celebrou a entrada do país à Aliança Internacional pela Lembrança do Holocausto. A Aliança – IHRA, em inglês : “International Holocaust Remembrance Alliance” – foi fundada em 1998 com o objetivo de conseguir que os governos dos países membros reconheçam ser imperativo a coordenação da política internacional para reforçar o compromisso das sociedades no combate ao crescimento da negação do Holocausto e do antissemitismo.

Atualmente, essa associação é composta por 35 países membros. A Aliança aceitou a proposta do Brasil e o integrou como país observador em 9 de novembro de 2021. Na América Latina, apenas a Argentina é membro pleno, pois integrou-se desde a fundação; e o URUGUAI é também membro observador.

A cerimônia – que teve início na terça feira, dia 19/4, às 16h com o tema “O Brasil e a memória do Holocausto: legado e compromissos” – reuniu numeroso público. Destaque para a presença dos sobreviventes do Holocausto Jorge Tredler, da B’nai B’rith RJ; George Legman e Adan Gutingler, ambos de São Paulo; da professora Maria Luiza Tucci Carneiro; da neta de Aracy Guimarães Rosa, Vera Tess, e do bisneto. A B´nai B´rith do Rio de Janeiro esteve representada pela irmã Denise Levy Tredler junto com seu marido Jorge. Pela B´nai B´rith Brasil, participou o presidente nacional, Abraham Goldstein.

Como citou o ministro Carlos Alberto França, “o dia 19 de abril nos remete a lembrar o dia do LEVANTE do GUETO de VARSÓVIA, ocorrido em 1943. Observamos que o Brasil foi aceito na IHRA no dia de lembrança da Noite dos Cristais. Interessante coincidência de datas e eventos.”

Na solenidade, foram homenageados Aracy de Carvalho Guimarães Rosa e o embaixador Luiz Martins de Souza Dantas, integrantes do serviço exterior brasileiro que se destacaram pela coragem e esforço humanitário em salvar cidadãos perseguidos pelo regime nazista, principalmente judeus, durante a Segunda Guerra Mundial. Ambos foram reconhecidos como “Justos entre as Nações” pelo Yad Vashem, memorial de referência internacional sobre o tema do Holocausto, com sede em Israel.

Tramita no Congresso Brasileiro uma proposta marcando o dia 16 de abril, data do falecimento do Embaixador Souza Dantas, como o Dia Nacional de Lembrança das Vítimas do Holocausto, com objetivo educacional conforme estabelecido pela ONU.

“Viva o Brasil, país maravilhoso, que acolheu milhares destes sobreviventes, dando-lhes a oportunidade de trabalhar e ter uma vida digna, em liberdade! Viva o Brasil, que permitiu aos judeus europeus constituírem família e criarem seus filhos e netos, brasileiros, que aqui puderam estudar, trabalhar e contribuir para o crescimento do país”, disse Denise Tredler.

“Os brasileiros assumem, por meio de seu governo, a responsabilidade perante o mundo em reforçar as suas iniciativas legais e educacionais de combate contra o antissemitismo e os negadores do Holocausto, incluindo os comportamentos discriminatórios, racistas, contra a liberdade e a democracia”, finalizou Abraham Goldstein.

 

 

 

Veja também

Para ver e rever o encontro, via YouTube, com o coordenador-geral do Museu do Holocausto de Curitiba, Carlos Reiss

PARA VER, REVER E DISSEMINAR… Live com o coordenador-geral do Museu do Holocausto de Curitiba, …