ADL repudia relatório da ONU

 

Na véspera da apresentação às Nações Unidas de um relatório enganoso direcionado às empresas que mantem negócios com Israel, a Liga Anti-Difamação (ADL) solicitou ao Secretário-Geral Ban Ki-moo que retirasse a aprovação preliminar ao relatório e se distanciasse do autor do tendencioso documento.

A ADL criticou o “Relatório do Relator Especial sobre a situação dos direitos humanos nos territórios palestinos desde 1967” apresentado nesta quinta-feira à ONU.

“Embora a questão das violações dos direitos humanos vivida pelos palestinos seja uma área legítima de preocupação e investigação, Richard Falk tem abusado de sua posição como relator repetidamente especial para desencadear o ódio desenfreado e desdém à Israel”, disse Abraham H. Foxman, diretor nacional da ADL.

“Esta maldade permeia seus relatórios oficiais e, às vezes, declarações de sua equipe, incluindo o uso de mensagens antissemitas e comparações das ações israelenses às dos nazistas.

Como Relator Especial, Falk fez sua a missão de destacar Israel como um violador dos direitos humanos com aval da ONU para promover uma agenda tendenciosa, alimentada por um sentimento anti-israelense que corrói a credibilidade da ONU.

Em uma carta ao secretário-geral, a ADL condena o mais recente relatório do sr. Falk com foco em empresas privadas que fazem negócios em Israel – uma das marcas registradas do boicote internacional, desinvestimento e sanções da campanha para pressionar as empresas. A ADL pede que se afaste do “comportamento preconceituoso e ofensivo.”

0 sr. Falk como Relator Especial serviu para minar a credibilidade da instituição das Nações Unidas.”

Veja também

Encontro da B’nai B’rith, no Zena Cucina, para a Confraternização de Purin

Aconteceu na noite da última quinta-feira (21), o encontro da B’nai B’rith para a Confraternização …

Deixe um comentário