Yad Vashem reconhece primeiro árabe como “Justo Entre as Nações”

Mohamed Helmy (1901-1982), um médico egípcio, escondeu quatro judeus em Berlim durante a Segunda Guerra Mundial. O Yad Vashem, Memorial do Holocausto em Jerusalém, reconheceu-o em 2013 como um “Justo Entre as Nações”- dedicado àqueles que salvaram judeus do extermínio nazista-, na primeira vez em que um árabe recebeu a honraria. A princípio, a família se recusou a aceitar a homenagem, pois a instituição é israelense. Após quatro anos, um sobrinho-neto de Helmy decidiu aceitá-la. Ele receberá a medalha em Berlim, no dia 31 de outubro. Helmy nasceu no Egito e se mudou para Berlim em 1922 para estudar medicina. Depois de se formar, passou a atuar como médico, tornando-se chefe do departamento de urologia da instituição em que trabalhava. Ele mesmo sofreu por não ser ariano, ficando preso por um ano.

Helmy mobilizou-se para esconder uma família judia de pacientes e amigos. A judia Anna, à época com 21 anos, ficou escondida até o fim da guerra em uma cabana que Helmy possuía próxima a Berlim. “Ele conseguiu se esvair de todos os interrogatórios. Em alguns casos, me levava para casas de amigos que me abrigavam por alguns dias, me apresentando como uma prima. Quando o perigo passava, eu retornava para a cabana…Dr. Helmy fez tudo por mim pela bondade de seu coração e eu serei eternamente grata a ele”, escreveu posteriormente Anna. Após a guerra, ela e seus familiares emigraram para os EUA, mas jamais esqueceram seu benfeitor.

Conib

Veja também

Bélgica corta ajuda financeira a escolas palestinas por homenagem a terroristas

A Bélgica decidiu suspender a ajuda financeira a escolas palestinas que prestam homenagem a terroristas. …