Violação do acordo Israel e Egito

Israel emitiu uma queixa formal ao Egito, alegando que os três foguetes  disparados contra Eilat a partir da Península do Sinai, constituem uma violação do acordo de paz entre as duas nações.

Um alto funcionário israelense disse que Amos Gilad, diretor de política e assuntos políticos do Ministério da Defesa, passou a queixa à inteligência egípcio sênior e oficiais militares.

“Israel está levando o caso muito a sério e espera que as forças de segurança egípcias possam prevenir tais ataques com foguetes no futuro e garantir tranquila na fronteira entre os dois países “.

O Ministro da Defesa, Moshe Yaalon, disse ontem durante uma reunião de gabinete que Israel considera o Egito responsável por impedir os ataques contra o país originados da península do Sinai. Yaalon afirmou que “os egípcios estão mais dispostos a lutar contra os terroristas no Sinai agora do que foram no passado, mas ainda não é suficiente.”

Netanyahu disse no início da reunião que os foguetes foram disparados por um grupo terrorista originário da Faixa de Gaza, mas com base no Sinai.   Os terroristas pertencem a Jihad Global, com sede em Gaza, e foram apoiados por beduínos. Netanyahu também afirmou que Israel não tolerará ataques com foguetes em Eilat. “Eles vão pagar o preço”, disse ele. “Essa tem sido a nossa política nos últimos quatro anos e vai servir-nos agora também.”

Veja também

Pesquisas do Arqshoah  serão divulgadas na Universität de Zürich (Suíça)

Neste dia 9 de outubro, a historiadora  Maria Luiza Tucci Carneiro faz uma vídeoconferência para …

Deixe uma resposta