Twitter revela identidade de antissemitas na França

O Twitter concordou em revelar detalhes de usuários na França que postaram mensagens antissemitas, relatou a imprensa francesa.

De acordo com um relatório da agência de notícias francesa AFP, o site da Califórnia concordou em entregar às autoridades francesas detalhes sobre os usuários que travam uma luta legal, que começou no ano passado, quando vários grupos antirracistas franceses processaram Twitter por permitir discurso de ódio.

De acordo com a emissora de TV francesa BFM, o Twitter, disse num comunicado que a divulgação poderia “pôr fim ao litígio” contra o Twitter, liderado pela União de Estudantes Judeus da França, UEJF.

No mês passado, o Tribunal de Apelações de Paris confirmou a decisão de que o Twitter deve fornecer dados de alguns usuários ao UEJF e a outras quatro organizações que apresentaram uma queixa contra a empresa em novembro de 2012.

Os usuários eram culpados por violar as leis do discurso de ódio francês e o Twitter deve liberar informações sobre os criminosos, decidiu o tribunal.

A denúncia veio após os hashtags # unbonjuif (“um bom judeu”) e # unjuifmort (“é um judeu morto”) tornou-se imensamente popular porque eles foram usados no que o Le Monde chamou de “um concurso de piadas antissemitas.” Hashtags são rótulos usados como índice sobre um determinado tema.

O Twitter argumentou no tribunal que é uma empresa americana que adere às leis dos Estados Unidos e é protegido pela Primeira Emenda e suas amplas liberdades de expressão. Mas BDM TV citou a empresa como dizendo que os seus representantes tem mantido reuniões com a UEJF para “prosseguir ativamente com a cooperação, a fim de combater o racismo e o antissemitismo, de acordo com a legislação local.”

Veja também

Palestinos manterão luta pacífica, diz Abbas a palestinos da América Latina

Em carta dirigida à comunidade palestina da América Latina, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud …

Deixe uma resposta