Sudão nega que libertará cristã condenada à morte

A sudanesa de 27 anos, que deu à luz na prisão, Meriam Yahia Ibrahim Yshag, condenada à morte por ter deixado o islamismo e ter se tornado cristã não será libertada, informaram as autoridades do Sudão, para acabar com comentários que circularam nos últimos dias. Para o Islã é inconcebível que um indivíduo mude sua religião e isto deve ser punido tirando-lhe a vida. A liberdade ainda está muito longe para grande parte da humanidade.

Veja também

Instituto Weizmann de Ciências oferece bolsas de estudos para alunos brasileiros estudarem em Israel

Até 25 de fevereiro os futuros cientistas devem se inscrever. É preciso ter terminado o …

Deixe uma resposta