Professor do Instituto Weizmann fala sobre células tronco e transplantes de medula

Mario Fleck, presidente do grupo Amigos do Instituto Weizmann do Brasil, recebeu o professor Yair Reisner, do Departamento de Imunologia do Instituto Weizmann de Ciências de Israel.

O professor falou sobre os avanços que obteve para evitar a rejeição nos transplantes de medula. Há mais de trinta anos, quando ainda era um estudante de pós-graduação, realizou o primeiro transplante de medula de uma mãe para seu filho sem imunidade.

Ainda hoje, ele vem trabalhando com um método capaz de separar os diferentes tipos de células da medula óssea antes do transplante, a fim de evitar a rejeição. O método é rotineiramente usado para salvar vidas de crianças que nascem com deficiências imunológicas e vivem em “bolhas”. Segundo ele, ao injetar células tronco na medula você consegue modificar a identidade do sistema imunológico.

Reisner também falou sobre a parceria entre o Instituto Weizmann e o Hospital Albert Einstein, motivo de sua vinda ao Brasil.

Com modernos laboratórios que abrigam mais de 2500 cientistas, técnicos e estudantes, o Instituto Weizmann, localizado em Rehovot, Israel, figura na vanguarda da investigação científica e vêm fazendo grandes contribuições para a humanidade no tratamento de doenças como o câncer e a esclerose múltipla e no campo das investigações científicas.

Veja também

Nova York tem tentativa de ataque terrorista nesta manhã

O maior terminal rodoviário do mundo foi palco da tentativa de um ataque terrorista, conforme …

Deixe uma resposta