“Por que a guerra na Síria, após 400 mil mortes, está piorando?”

Há um fato básico sobre a guerra civil na Síria que parece nunca mudar: a frustração diante da possibilidade de qualquer solução. Apesar de muitas ofensivas, conferências de paz e intervenções estrangeiras, incluindo a incursão turca nesta semana a uma cidade de fronteira, o único ponteiro que parece se mover é o da medida de sofrimento dos sírios, que apenas piora. Pesquisas acadêmicas sobre conflitos e guerras civis, mostram que a maioria dura em média cerca de uma década. Mas, no caso sírio, essa previsão pode frustrar, porque há uma série de fatores que podem tornar o conflito mais longo, mais violento e de difícil solução. Muitos deles derivam de intervenções estrangeiras que visam acabar com a guerra, mas em vez disso a deixam entrincheirada em impasse, no qual a violência é alimentada e os caminhos para a paz fechados. O fato de haver por trás uma batalha entre múltiplas partes, em vez de apenas dois lados, também contribui para a falta de uma solução. Barbara F. Walter, professora da Universidade de San Diego e uma importante especialista em guerras civis, vê com pessimismo o fim do conflito sírio: “Este é um caso muito, muito difícil”.
(NYT/UOL)

Veja também

B’nai B’rith na 10ª caminhada que reuniu 50 mil em prol da liberdade religiosa no RJ

A comunidade judaica participou em peso no domingo, 17 de setembro, com milhares de pessoas …