Oscar: instituição judaica critica piadas de Seth McFarlane

A Liga Antidifamação (ADL), organização que luta contra o antissemitismo, criticou as piadas feitas pelo urso de pelúcia Ted na cerimônia do Oscar. Ted é uma criação do humorista Seth MacFarlane, que apresentou a premiação de Hollywood disparando mais mancadas que acertos. Ted, especificamente, tinha um texto em que debochava da forte presença de judeus na indústria cinematográfica.

Em um número ao lado do ator Mark Wahlberg, com quem divide o cartaz da comédia Ted, primeiro filme de MacFarlane, o urso de pelúcia disse que “era melhor ser judeu” para trabalhar em Hollywood. “As piadas sobre os ´judeus que controlam Hollywood´ de Seth MacFarlane foram ofensivas e nada engraçadas”, disse o presidente da  Liga Antidifamação nos Estados Unidos, Abraham H. Foxman. “Esse tipo de atitude só reforça estereótipos que legitimam o antissemitismo. Fico triste ao ver que a cerimônia do Oscar usa este tipo de recurso para fazer rir.”

A cerimônia do Oscar também teve outra controvérsia, quando o site satírico The Onion postou na rede social Twitter um comentário ofensivo contra a pequena Quvenzhane Wallis, de nove anos, mais jovem indicada ao prêmio de Melhor Atriz, utilizando uma palavra baixo calão para referir-se a ela. O editor do site, Steve Hannah, postou um pedido de desculpas oficial no Facebook no qual reconhece que o comentário foi ofensivo.

 

Veja também

Palestinos manterão luta pacífica, diz Abbas a palestinos da América Latina

Em carta dirigida à comunidade palestina da América Latina, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud …

Deixe uma resposta