NOVAS REFLEXÕES SOBRE PURIM

12 de Março 2017 – 14 de adar 5777
15 de Adar- Shushan Purim

O que comemoramos nestas datas?

Foi aos 450 anos da Era Comum que em Adar – conforme transcrito no Livro de Ester – que tiveram lugar os seguintes acontecimentos da luta pela sobrevivência do Judaísmo, tão tradicional em nossa historia!

Na época, a Pérsia era um império que englobava mais de 127 países e nele moravam todos os judeus.

Purim –“Pur” significa sorteio, o da data em que o nefasto Haman, então primeiro ministro, pretendia obter a eliminação do povo hebreu, porque não lhe deu atenção e reverencia das quais se julgava merecedor.

Seus planos foram frustrados pela coragem da rainha Ester ao relatar ao seu esposo, o rei Achashverosh sobre suas origens, como judia, cujo povo estava ameaçado pelo decreto que Haman fizera o rei assinar. O decreto foi suspenso e Haman terminou na forca. Ester era instruída por seu primo Mordechai. Este por sua parte era admirado pelo rei, como conselheiro na interpretação de seus sonhos.

Esta história, relatada na Meguilá Ester, é lida em todas as Sinagogas nesta data, sob o barulho dos reco-recos cada vez que o nome de Haman é mencionado. Em alegria festiva de toda comunidade, jogando balas e confeitos.

Nas províncias as lutas duraram mais tempo. E os judeus só puderam celebrar um dia depois, ou seja, em 15 de Adar, que ficou conhecido como Shushan – Purim.

“Da tristeza a alegria”, após o fim do extremismo. Mesmo a custo de muito sacrifício, e de lutas, seja como minoria ou maiorias desta terra, como tantas vezes demonstrado ao longo de nossa historia.

Relatamos com destaque estes episódios tão conhecidos e distantes. A antiga Pérsia é o Irã, com suas forças de destruição e seu discurso de ódio ao nosso povo em Israel. Hoje envolta em um fanatismo religioso, que tem como comandante o seu líder supremo, o aiatolá Khamenei.

A força de armadas treinadas pela luta do ódio e destruição defronta-se com os acordos duramente conquistados pelas Nações Unidos capitaneados pelos Estados Unidos, Rússia, França, Inglaterra e Alemanha.

Este é o mundo atual. Mas, Purim fala sobre o caráter dos seres humanos, suas qualidades e seus defeitos, sobre saber esperar e saber ouvir – como a rainha Ester soube esperar o momento certo de falar e o rei soube ouvir sua esposa. A rainha Ester soube unir seu povo para em oração e em jejum pedir a Deus a salvação do destino ao qual pareciam condenados. União, oração, o poder transformador da mulher, há tanto para se refletir sobre Purim, que a cada ano encontramos algo a mais para compartilhar.

Bom Purim, com os “Haman Tashen”, comes e bebes, evitando excessos.

Chag Purim Sameach.
Ernesto Strauss – Diretor Cultural da B’nai B’rith do Brasil

purim

Veja também

Longevidade ExpoForum

O projeto “Juntando Pontas”, da B’nai B’rith, marcou presença Longevidade Expo Fórum com um estande …