Negacionismo e revisionismo: alertas contra o antissemitismo

A Profa. Dra. Rachel Mizrahi faz uma análise das várias fases da historiografia alemã e das posturas adotadas em reação à guerra e ao Holocausto. Da culpa dos primeiros anos às tentativas de relativização dos acontecimentos, em uma revisão do negacionismo:

Passaram mais de 70 anos desde que os aliados quebraram as forças do nazismo na Europa. A Alemanha, mesmo ocupada e dividida reergueu-se, recuperando-se, economicamente. Não de forma milagrosa, como muitos acreditam. No final da Segunda Guerra, um parque industrial moderno – implantado pelos nazistas – pôde ser acionado, porque somente 6,5% de equipamentos da produção industrial foram destruídos nos bombardeios aliados. O crescimento econômico e a Social Democracia da Alemanha Ocidental nos anos 60 do século passado levaram o país ao “bem-estar social”, espelhado no modelo americano.

Vale a pena ler a íntegra do artigo neste link.

Veja também

Instituto Weizmann de Ciências: 6º. lugar no ranking Nature Innovation Index 2017 (1º. lugar de fora dos EUA)

A revista Nature publicou o índice Nature Index 2017 do suplemento Innovation (Inovação) no qual …