Negacionismo e revisionismo: alertas contra o antissemitismo

A Profa. Dra. Rachel Mizrahi faz uma análise das várias fases da historiografia alemã e das posturas adotadas em reação à guerra e ao Holocausto. Da culpa dos primeiros anos às tentativas de relativização dos acontecimentos, em uma revisão do negacionismo:

Passaram mais de 70 anos desde que os aliados quebraram as forças do nazismo na Europa. A Alemanha, mesmo ocupada e dividida reergueu-se, recuperando-se, economicamente. Não de forma milagrosa, como muitos acreditam. No final da Segunda Guerra, um parque industrial moderno – implantado pelos nazistas – pôde ser acionado, porque somente 6,5% de equipamentos da produção industrial foram destruídos nos bombardeios aliados. O crescimento econômico e a Social Democracia da Alemanha Ocidental nos anos 60 do século passado levaram o país ao “bem-estar social”, espelhado no modelo americano.

Vale a pena ler a íntegra do artigo neste link.

Veja também

Comunidade judaica paulista promove evento pelo Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto

Por ocasião do Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto, a Confederação Israelita do …