Mundo democrático não pode tolerar terror e morte de jovens

A Confederação Israelita do Brasil, representante da comunidade judaica brasileira, vem a público manifestar sua profunda indignação pelo assassinato de três jovens israelenses, cujos corpos foram encontrados nesta segunda-feira. Eles haviam sido sequestrados no dia 12 de junho, em área próxima a Jerusalém.

“O mundo democrático não pode tolerar o terrorismo e a morte desses três jovens”, declarou o presidente da Conib, Claudio Lottenberg. “Eles foram alvos de um crime abominável, perpetrado por quem alimenta uma cultura de ódio e impede qualquer esforço para uma convivência pacífica em uma região tão turbulenta como o Oriente Médio”.

Lottenberg prosseguiu: “Vemos uma preocupante escalada dos grupos extremistas no Oriente Médio. As democracias e a comunidade internacional precisam se unir para garantir que as forças contrárias aos valores democráticos não triunfem”.

A Conib se une à família dos jovens israelenses brutalmente assassinados, prestando sua solidariedade e condolências.

Encontrados os corpos dos três jovens sequestrados 

Os corpos dos três adolescentes israelenses que foram sequestrados há mais de duas semanas foram encontrados pelo Exército de Israel em um campo a noroeste de Hebron, na tarde desta segunda-feira.

A descoberta veio depois que o serviço de inteligência Bet focou seus esforços na área nos últimos dois dias. Eles estavam enterrados em uma área aberta, a três quilômetros de Halhul. A área foi declarada perímetro militar fechado. A avaliação é de que os três jovens foram mortos pouco depois de terem sido sequestrados.

As pesquisas que levaram à descoberta dos corpos foram conduzidas pela Brigada de infantaria do Kfir, Juliuana unidade elite e voluntários civis. Eles foram transportados para o Instituto forense de Abu Kabir em Tel Aviv para uma análise mais aprofundada.

Continuará com os esforços de rastreamento dos dois sequestradores do Hamas, Marwan Kawasme e Amar Abu Aysha, bem como de todos os envolvidos no rapto.

Confrontos eclodiram na área entre as forças de segurança de Israel e palestinos.

Na segunda-feira, o Ministro da Defesa Moshe Ya’alon havia anunciado que tinham sido realizados progressos na busca de Gil-Ad Shaer, Naftali Fraenkel e Eyal Yifrah, informou a rádio de Israel.

Desde o início da operação lançada para localizar os adolescentes desaparecidos, o IDF prendeu 419 suspeitos, 276 dos quais membros do Hamas. Doze líderes do Hamas foram presos na Cisjordânia. Foram lançados 39 ataques. A rádio e televisão do Hamas foram fechadas, e acesso restrito tem estado em vigor em torno das áreas de Hebron há 17 dias. (Jerusalém Post – www.jpost.com)

Veja também

Seminário e lançamento de livro marcam os sete anos da Cátedra da Cultura Judaica da PUC-SP

Nesta quarta-feira, 22 de novembro, a PUC-SP celebra os sete anos da Cátedra da Cultura …

Deixe uma resposta