Lideranças judaicas condenam votação: antissemitismo e loucura

Líderes judeus europeus responderam que a declaração do Conselho da Assembleia Parlamentar da Europa de que a prática é uma “violação da integridade física das crianças” é uma expressão de “antissemitismo” e “uma loucura”. O organismo europeu também ignorou as pesquisas médicas que indicam os benefícios dessa prática, ao compará-la com a mutilação genital feminina.

“O texto aprovado pelos deputados em uma votação não pretende estigmatizar qualquer comunidade religiosa ou suas práticas”, disse Jagland no site do Conselho.

Veja também

Seminário e lançamento de livro marcam os sete anos da Cátedra da Cultura Judaica da PUC-SP

Nesta quarta-feira, 22 de novembro, a PUC-SP celebra os sete anos da Cátedra da Cultura …

Deixe uma resposta