Líbia prende quatro estrangeiros acusados de divulgar o Cristianismo

Quatro estrangeiros foram detidos na cidade de Benghazi, a segunda maior da Líbia, sob suspeita de serem missionários cristãos e de imprimir livros sobre o Cristianismo, de acordo com uma autoridade de segurança do governo, no sábado 16 de fevereiro.

“Eles foram presos em uma editora, onde imprimiam milhares de livros que incitavam a conversão ao Cristianismo”, afirmou Hussein Bin Hmeid.

“Proselitismo é proibido na Líbia. Somos um país 100% muçulmano e esse tipo de ação afeta nossa segurança”, disse.

A Segurança Preventiva, órgão estatal do qual Hmeid é porta-voz, afirmou que os detidos são um egípcio, um sul-africano, um coreano e um sueco que viajava com um passaporte dos EUA. A Segurança Preventiva, um aparato paralelo, foi criada durante a guerra de 2011 que capturou e matou Muammar Gaddafi, por diversas brigadas rebeldes que lutaram contra o ditador no conflito.

Veja também

Seminário e lançamento de livro marcam os sete anos da Cátedra da Cultura Judaica da PUC-SP

Nesta quarta-feira, 22 de novembro, a PUC-SP celebra os sete anos da Cátedra da Cultura …

Deixe uma resposta