Lia Bergmann é homenageada na Assembleia Legislativa de São Paulo

No dia 10 de maio, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo s sediou o 17º Atoem Homenagem às Sacerdotisas de Matriz Afro-brasileira e Mulheres Ilustres que contribuíram para a Diversidade Religiosa.

Para Eduardo Brasil, Tata Matamoride, as sacerdotisas são as mantenedoras culturais de uma religião das mais antigas do mundo, nascida na África, de onde se originou a humanidade. “A liberdade de culto não tem nos alcançado de forma verdadeira”… leis que deveriam cumprir a constituição se voltam contra nós.” (www.portaldocandomble.org.br)

A Profa. Elisa Lucas, coordenadora da População Negra e Indígena da Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo destacou a importância do evento que integra as comemorações dos 130 anos da Abolição da Escravatura, da ALESP.

Compondo a mesa diretora dos trabalhos falando em nome do Fórum Inter-religioso Mãe Carmem de Oxum lembrou a persistência de Lia Bergmann , que junto com ela e Eduardo Brasil se reuniam semanalmente na Secretaria da Justiça lutando pela criação do Fórum Inter-Religioso para uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença durante mais de dez anos.

A presidência da solenidade a advogada Eliane Dias, coordenadora do SOS Racismo, celebrou o auditório lotado como mostra da união do povo negro e dos cultos de umbanda e candomblé homenageados na ocasião. O SOS Racismo da ALESP é o único a ter um serviço de recebimento de denúncias, ( 0800-77-33-886). Organizado pelo Portal do Candomblé, Instituto nacional de Defesa das religiões Afrobrasileiras – INDARAB e Fórum de Matriz Afrobrasileira – FOESP.

Veja também

B’nai B’rith recebe delegação de jornalistas israelenses

O Diretor dos Assuntos da União Europeia, Benjamin Nägele, recebeu uma delegação de jornalistas israelenses …