EUA condenam comentários antissemitas de Morsi como líder islamista

A Casa Branca condenou nesta terça-feira comentários fortemente antissemitas do presidente egípcio Mohamed Morsi. Os comentários foram realizados em  2010, quando ele era um líder da Irmandade Muçulmana e que foram considerados como de natureza antissemita. 

O porta-voz da Casa Branca Jay Carney disse a repórteres que Morsi tinha usado uma linguagem  “profundamente ofensiva” e gerou preocupações de que os funcionários norte-americanos em relação ao governo egípcio sobre o assunto. 

Quase três anos atrás, Morsi, como um líder político islâmico, fez um discurso exortando os egípcios a “educar seus filhos e netos no ódio” para os judeus e sionistas, segundo o New York Times. Em uma entrevista de TV meses mais tarde, ele teria descrito os sionistas como “esses sanguessugas que atacam os palestinos. Estes belicistas, os descendentes de macacos e porcos”, de acordo com o jornal.

Carney, no entanto, disse que como presidente Morsi tinha ajudado a mediar um cessar-fogo entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza e prometeu defender tratado de paz do Egito com Israel.

 

Veja também

Nova York tem tentativa de ataque terrorista nesta manhã

O maior terminal rodoviário do mundo foi palco da tentativa de um ataque terrorista, conforme …

Deixe uma resposta