Escola pública carioca acusada de forçar criança judia a ler oração cristã

O jornal Times de Israel destacou que um aluno judeu do 9o. ano da escola pública Ciep Cecílio Barbosa da Paixão, no Rio de Janeiro, foi E pior, quando o garoto saiu do grupo, se negando a fazê-lo, um inspetor lhe disse que essa era uma oração universal.

Indignado, o pai do menino procurou o estabelecimento de ensino e um porta-voz negou o fato, afirmando que o aluno não foi coagido, O pai reclamou com o diretor da escola e um porta-voz negou o fato, afirmando que o garoto não foi coagido, pois a prece era a prece era “uma ação facultativa e voluntária de um grupo de estudantes”. O caso foi levado à FIERJ para as devidas providências.

A escola alegou o que diz a lei, pois a liberdade de religião é garantida pela constituição brasileira. No entanto, por este país afora muitos professores confundem ensino religioso com ensino confessional, ou seja, de uma fé específica. O ensino confessional, mesmo não sendo obrigatório, é uma forma de discriminação, pois os alunos que não professam tal fé devem deixar a sala de aula e, infelizmente há muitos educadores despreparados para lidar com o assunto.

Leia mais: http://www.timesofisrael.com/

Veja também

Seminário e lançamento de livro marcam os sete anos da Cátedra da Cultura Judaica da PUC-SP

Nesta quarta-feira, 22 de novembro, a PUC-SP celebra os sete anos da Cátedra da Cultura …

Deixe uma resposta